Categorias
Artigos Comunicação Liderança Psicanálise Reflexão Sem categoria

Apresentação e a vontade de sumir.

Assim como na sua história também deve ter, momentos bons e alguns não tão bons, eu tive os meus. Hoje eu sou terapeuta e consultor de comunicação interpessoal, e ajudo as pessoas justamente a compreenderem o seu mundo interno e apoiando a se relacionar com o mundo externo. Para mim esse foi um processo doloroso, o que não precisa ser para você. O meu foi doloroso pois não foi só uma jornada profissional, foi parte da minha vida lidar com depressão, ansiedade e todas as coisas que você pode imaginar. E não quero de forma alguma que você compre a minha história ou qualquer coisa do gênero. Quero me apresentar para que você saiba que talvez existam pessoas parecidas com você, ou até mesmo pessoas que superaram problemas que você tem ou teve em sua vida. Eu vou falar sobre espiritualidade, comunicação, criatividade e comportamento humano, pois esses foram os elementos que eu fui em busca para minha vida profissional e que por ressonância são os aspectos que me curam todos os dias.

Eu experimentei o sentimento de querer sumir e conheci pessoas que sentiram na adolescência, assim como eu, a vontade de mudar o mundo intercalando de lugar com o a vontade de sumir do mundo, e isso oscilou bastante entre um e outro. Hora uma vontade, ora outra, ora o mundo me mostrando que não era possível, ora meu mundo interior gritando para que eu encontrasse uma forma.

Mas sempre existia uma voz que quando eu conseguia silenciar a minha mente me dizia: calma, dorme, vai passar.

Essa voz me acompanha até hoje, cada vez mais esperta ela, mais inteligente. É a voz da consciência.

E o que eu quero te contar, é sobre as coisas que eu aprendi para deixar essa voz mais forte. Eu não quero te contar histórias tristes ou mostrar minhas cicatrizes, eu quero te ajudar a superar as tuas, mas claro, se tiver oportunidade te conto dos meus demônios. Bom, mas esse assunto pode ficar em outro vídeo. Deixa eu te contar algumas coisas que fiz para entender

Quando fui fazer a graduação, eu como bom humano fiz uma escolha fácil, não desinteressante, mas fácil. Escolhi fazer um curso que já tinha espaço no meu dia a dia e me deixaria entrar no mercado de trabalho rapidamente e crescer. Foi aí que eu comecei a cursar comunicação social, de bônus pude compreender que minha paixão ainda não era o que estava já na minha vida que era a parte mais comercial da comunicação e sim a parte comportamental. Fiz minha conclusão de curso com um trabalho sobre comunicação, sexualidade e internet e aí começava minha jornada mais profunda com a pesquisa e um olhar para as relações humanas.

Fiz meu primeiro curso de Reiki, depois, fiz uma especialização em comunicação e logo em seguida comecei a lecionar, sim, fui dar aula em uma faculdade. Para poder me desenvolver mais fui procurar um mestrado, e depois de dois anos de estudos intensos, concluí minha dissertação sobre comportamento humano no digital que tinha como tema a comunicação digital e a liderança. Isso envolvia as relações presenciais das pessoas e as digitais, ou seja, já um olhar para nós, cidadãos do 3º milênio que vivemos assim sempre, digitais e presenciais, mantendo nossos contatos uns com os outros. Descobri nesse processo que as pessoas tinham muitas dores e muitos conflitos relacionados às ações comunicacionais, ou seja, nossa forma de se comunicar com os outros gerava, e mais tarde fui descobrir ferramentas e técnicas para auxiliar as pessoas a curarem essas dores que a comunicação do mundo interno e do mundo externo geravam. Enquanto fazia essa etapa da jornada que te contei até aqui, eu pude aprender muito nas organizações em que trabalhei, criei procedimentos, trabalhei com política da qualidade.

Até que mudei de cidade, e fui me aventurar no empreendedorismo. E ainda queria que o mundo mudasse para mim. E aí, nesta nova cidade tive tempo para me aprofundar em mim e nas minhas perguntas ao universo de como me sentir bem-vindo e ajudar os outros a se sentirem igualmente bem-vindos a este planeta, e ainda querendo que o mundo mudasse e não eu. Até que comecei um contato maior com a minha espiritualidade, me aprimorando energeticamente e mentalmente. Eu me dei conta de que precisava de mais ferramentas para ajudar a me transformar e transformas as pessoas que também quisessem ser transformadas, para que o mundo se transformasse a partir disso, pois quem ainda acredita que o mundo tem que mudar primeiro não pode ver quanta coisa boa ele tem para oferecer, e se você pensa assim, saiba que existem outros pontos de vista que podem te trazer muito mais felicidade do que esperar do mundo externo e não receber.

Bem, eu precisava de ferramentas, como meu mestrado já tinha sido com ênfase na comunicação de inter-relacionamento, eu já tinha feito algumas formações de terapias energéticas integrativas, fui fazer as formações de Coaching, comecei a estudar psicanalise e a ter um entendimento cada vez mais claro da psique, daí veio a apometria, o mestrado em reiki, e tudo isso eu continuo estudando e aplicando, pois, sem tirar nada para fora da mala eu fui conseguindo inter-relacionar os conteúdos. E essa jornada de conteúdo, através da prática do dia a dia, colocando em prática primeiro comigo, depois com os alunos e clientes com os quais eu tive o privilégio de cruzar estradas.  Isso faz com que eu possa hoje ser feliz, e ser grato por poder me expressar, me entender, e querer fazer parte dessa realidade que pode ser linda, cada dia mais. E é por isso que eu quero compartilhar contigo um ano inteiro de como você pode se expressar e melhorar o mundo para o terceiro milênio. Porque é gente boa que tem que #dominaromundo e #seexpressareserfeliz.

Esse texto em versão vídeo:


https://youtu.be/-r8Ez3VkIgU